quarta-feira, 7 de maio de 2014

Gastos com a Copa não prejudicaram investimentos em saúde e educação

Gilberto CarvalhoNão dá para aceitar que, por causa de investimentos ligados à Copa, a educação e a saúde estejam em péssima situação, como dizem alguns críticos mais exaltados.

Uma das maiores paixões do Brasil é o futebol. Por isso, é natural que a realização da Copa do Mundo em nosso país desperte fortes emoções. E é com muita emoção que o significado desse grande evento tem sido analisado. 
Infelizmente, porém, tem faltado informação. É exatamente para levar informações precisas e ouvir um amplo leque de opiniões que tenho ido, como representante do governo brasileiro, a todas as cidades-sede para debater com os representantes dos movimentos sociais a importância e as repercussões da Copa para o Brasil.
A "crítica" que mais ouvi até agora é que os gastos do governo federal com a Copa do Mundo prejudicaram os investimentos do país em saúde e educação. Entretanto, esse é um mito que não tem lógica nem fundamento. Não houve gastos do orçamento da União diretamente com a Copa.
Nos 12 estádios, que custaram R$ 8 bilhões, o governo federal entrou com R$ 3,9 bilhões de financiamento do BNDES. Mas esses financiamentos serão pagos. Nas obras ligadas à Copa, realizadas nas cidades-sedes, o governo investiu R$ 17,6 bilhões, principalmente nos aeroportos, no transporte público de massa e nas telecomunicações. E essas obras permanecerão como benefícios permanentes para nosso país.
Não dá para aceitar que, por causa desses investimentos, a educação e a saúde estejam em péssima situação, como dizem alguns críticos mais exaltados. Em primeiro lugar, porque os R$ 25,6 bilhões gastos com estádios e obras ligados à Copa, desde 2010, não são comparáveis aos R$ 825,3 bilhões que o governo federal investiu em educação e saúde nesse mesmo período.
Em segundo lugar, porque − ainda que tenhamos muito a melhorar − esses investimentos têm trazido avanços muito importantes. Na educação, basta perguntar a quem teve acesso à universidade graças ao Reuni e ao Prouni, aos milhares de formados pelo Pronatec, aos alunos de tempo integral do Mais Educação, ou aos jovens que estão estudando no exterior pelo Ciência Sem Fronteiras.

"Os movimentos sociais estão aproveitando a oportunidade da Copa para fazer manifestações e reivindicações, e esse é o papel deles"

Gilberto Carvalho
Especial para o UOL

Nenhum comentário:

Postar um comentário